Confira nosso Instagram

Obesidade

Por: Dra. Renata Gandini

Entendendo esse quadro cada vez mais frequente

Visão geral

A obesidade é uma doença complexa que envolve uma quantidade excessiva de gordura corporal. A obesidade não é apenas uma preocupação cosmética. É um problema médico que aumenta o risco de outras doenças e problemas de saúde, como doenças cardíacas, diabetes, pressão alta e certos tipos de câncer.

Existem muitas razões pelas quais algumas pessoas têm dificuldade em perder peso. Normalmente, a obesidade resulta de fatores hereditários, fisiológicos e ambientais, combinados com dieta, atividade física e escolhas de exercícios.

A boa notícia é que mesmo uma perda de peso modesta pode melhorar ou prevenir os problemas de saúde associados à obesidade. Uma dieta mais saudável, aumento da atividade física e mudanças de comportamento podem ajudá-lo a perder peso. Medicamentos prescritos e procedimentos para perda de peso são opções adicionais para o tratamento da obesidade.

Sintomas

O índice de massa corporal (IMC) é frequentemente usado para diagnosticar a obesidade. Para calcular o IMC, divida o peso (em quilogramas) pela altura (em metros) ao quadrado.

Tabela Imc - Dra. Daniele Zaninelli

Os asiáticos com IMC de 23 ou superior podem ter um risco aumentado de problemas de saúde.

Para a maioria das pessoas, o IMC fornece uma estimativa razoável da gordura corporal. No entanto, o IMC não mede diretamente a gordura corporal; portanto, algumas pessoas, como atletas musculosos, podem ter um IMC na categoria de obesidade, embora não tenham excesso de gordura corporal.

 

Muitos médicos também medem a circunferência da cintura de uma pessoa para ajudar a orientar as decisões de tratamento. Problemas de saúde relacionados ao peso são mais comuns em homens com circunferência da cintura acima de 102 centímetros e em mulheres com medida da cintura acima de 89 centímetros.

Quando consultar um médico

Se você está preocupado com seu peso ou problemas de saúde relacionados ao peso, pergunte ao seu médico sobre o controle da obesidade. Você e seu médico podem avaliar seus riscos à saúde e discutir suas opções de perda de peso.

Causas

Embora existam influências genéticas, comportamentais, metabólicas e hormonais no peso corporal, a obesidade ocorre quando você ingere mais calorias do que queima por meio de atividades diárias normais e exercícios. Seu corpo armazena essas calorias em excesso como gordura.

Nos Estados Unidos, a dieta da maioria das pessoas é muito rica em calorias – geralmente de fast food e bebidas com alto teor calórico. Pessoas com obesidade podem comer mais calorias antes de se sentirem satisfeitas, sentir fome mais cedo ou comer mais devido ao estresse ou ansiedade.

Muitas pessoas que vivem em países ocidentais agora têm empregos muito menos exigentes fisicamente, portanto, não tendem a queimar tantas calorias no trabalho. Mesmo as atividades diárias usam menos calorias, cortesia de conveniências como controles remotos, escadas rolantes, compras online e bancos drive-through.

Fatores de risco

A obesidade geralmente resulta de uma combinação de causas e fatores contribuintes:

Herança e influências familiares

Os genes que você herda de seus pais podem afetar a quantidade de gordura corporal que você armazena e onde essa gordura é distribuída. A genética também pode desempenhar um papel na eficiência com que seu corpo converte alimentos em energia, como seu corpo regula seu apetite e como seu corpo queima calorias durante atividades.

A obesidade tende a ocorrer em famílias. Isso não é apenas por causa dos genes que eles compartilham. Os membros da família também tendem a compartilhar hábitos alimentares e de atividade semelhantes.

Escolhas de estilo de vida

Dieta não saudável. Uma dieta rica em calorias, pobre em frutas e vegetais, cheia de fast food e repleta de bebidas com alto teor calórico e porções grandes contribui para o ganho de peso.

Calorias líquidas. As pessoas podem beber muitas calorias sem se sentirem cheias, especialmente calorias do álcool. Outras bebidas com alto teor calórico, como refrigerantes açucarados, podem contribuir para ganho de peso significativo.

Inatividade. Se você tem um estilo de vida sedentário, pode facilmente ingerir mais calorias todos os dias do que queima com exercícios e atividades diárias de rotina. Olhar para telas de computadores, tablets e celulares é uma atividade sedentária. O número de horas passadas em frente a uma tela está altamente associado ao ganho de peso.

Certas doenças e medicamentos

Em algumas pessoas, a obesidade pode ser atribuída a uma causa médica, como a síndrome de Prader-Willi, a síndrome de Cushing e outras condições. Problemas médicos, como artrite, também podem levar à diminuição da atividade, o que pode resultar em ganho de peso.

Alguns medicamentos podem levar ao ganho de peso se você não compensar com dieta ou atividade. Esses medicamentos incluem alguns antidepressivos, medicamentos anticonvulsivantes, medicamentos para diabetes, medicamentos antipsicóticos, esteroides e betabloqueadores.

Questões sociais e econômicas

Fatores sociais e econômicos estão ligados à obesidade. Evitar a obesidade é difícil se você não tiver áreas seguras para caminhar ou se exercitar. Da mesma forma, você pode não ter aprendido maneiras saudáveis de cozinhar ou pode não ter acesso a alimentos mais saudáveis. Além disso, as pessoas com quem você convive podem influenciar seu peso – é mais provável que você desenvolva obesidade se tiver amigos ou parentes com obesidade.

Idade

A obesidade pode ocorrer em qualquer idade, mesmo em crianças pequenas. Mas à medida que envelhece, as alterações hormonais e um estilo de vida menos ativo aumentam o risco de obesidade. Além disso, a quantidade de músculos em seu corpo tende a diminuir com a idade. Geralmente, menor massa muscular leva a uma diminuição do metabolismo. Essas mudanças também reduzem as necessidades calóricas e podem tornar mais difícil evitar o excesso de peso. Se você não controlar conscientemente o que come e se tornar mais ativo fisicamente à medida que envelhece, provavelmente ganhará peso.

Outros fatores

Gravidez. O ganho de peso é comum durante a gravidez. Algumas mulheres acham difícil perder esse peso depois que o bebê nasce. Esse ganho de peso pode contribuir para o desenvolvimento da obesidade em mulheres.

Parar de fumar. Parar de fumar está frequentemente associado ao ganho de peso. E para alguns, pode levar a ganho de peso suficiente para se qualificar como obesidade. Muitas vezes, isso acontece quando as pessoas usam alimentos para lidar com a abstinência de fumar. A longo prazo, porém, parar de fumar ainda é um benefício maior para a saúde do que continuar fumando. Seu médico pode ajudá-lo a prevenir o ganho de peso após parar de fumar.

Privação de sono. Não dormir o suficiente ou dormir demais pode causar alterações nos hormônios que aumentam o apetite. Você também pode desejar alimentos ricos em calorias e carboidratos, o que pode contribuir para o ganho de peso.

Estresse. Muitos fatores externos que afetam o humor e o bem-estar podem contribuir para a obesidade. As pessoas costumam buscar alimentos mais calóricos quando passam por situações estressantes.

Microbioma. Suas bactérias intestinais são afetadas pelo que você come e podem contribuir para o ganho de peso ou dificuldade para perder peso.

Mesmo que você tenha um ou mais desses fatores de risco, isso não significa que você está destinado a desenvolver obesidade. Você pode neutralizar a maioria dos fatores de risco através de dieta, atividade física e exercício, e mudanças de comportamento.

Complicações

Pessoas com obesidade são mais propensas a desenvolver uma série de problemas de saúde potencialmente graves, incluindo:

Doenças cardíacas e derrames. A obesidade aumenta a probabilidade de você ter pressão alta e níveis anormais de colesterol, que são fatores de risco para doenças cardíacas e derrames.

Diabetes tipo 2. A obesidade pode afetar a maneira como o corpo usa a insulina para controlar os níveis de açúcar no sangue. Isso aumenta o risco de resistência à insulina e diabetes.

Certos tipos de câncer. A obesidade pode aumentar o risco de câncer de útero, colo do útero, endométrio, ovário, mama, cólon, reto, esôfago, fígado, vesícula biliar, pâncreas, rim e próstata.

Problemas digestivos. A obesidade aumenta a probabilidade de desenvolver azia, doença da vesícula biliar e problemas hepáticos.

Apnéia do sono. Pessoas com obesidade são mais propensas a ter apneia do sono, um distúrbio potencialmente grave no qual a respiração para repetidamente e começa durante o sono.

Osteoartrite. A obesidade aumenta o estresse colocado nas articulações que suportam peso, além de promover a inflamação no corpo. Esses fatores podem levar a complicações como osteoartrite.

Sintomas graves de COVID-19. A obesidade aumenta o risco de desenvolver sintomas graves se você for infectado pelo vírus que causa a doença de coronavírus 2019 (COVID-19). Pessoas com casos graves de COVID-19 podem necessitar de tratamento em unidades de terapia intensiva ou mesmo assistência mecânica para respirar.

Qualidade de vida 

Obesidade pode diminuir a qualidade de vida geral. Você pode não conseguir fazer atividades físicas que antes gostava. Você pode evitar lugares públicos. Pessoas com obesidade podem até encontrar discriminação.

Outros problemas relacionados ao peso que podem afetar sua qualidade de vida incluem:

  • Depressão
  • Incapacidade
  • Vergonha e culpa
  • Isolamento social
  • Menor realização de trabalho

 

Responsável Técnica (Médica Psiquiatra)

Dagmar Fátima de Abreu

CRM 12388 MG - RQE 20249

Médicos

Renata Gandini Vieira

CRM 219304 SP

Mateus Abreu

CRM 89663 MG

São Paulo

Atendimento ao cliente

Email: contato@alternamentesaude.com

Horários de atendimento

Seguna a sexta:
08:00 ás 18:00

Sábado:
08:00 ás 12:00

Selos de confiança